8.06.2008

As Estradas do Turismo




" O Alentejo tem todas as condições
do ponto de vista turístico para ser uma referência
a nível nacional e internacional
"

"afirmou Paulo Campos [secretário de Estado Adjunto, das Obras Públicas e das Comunicações], em declarações à agência Lusa em Reguengos de Monsaraz (Évora), no decorrer uma visita ao Alentejo, onde anunciou investimentos de 58 milhões de euros em novas estradas.

Só para a zona do Alqueva, o secretário de Estado apresentou investimentos globais de 13,3 milhões de euros, que permitem a "melhoria das condições de segurança na rede viária", nomeadamente nas ligações entre os concelhos de Portel e Reguengos de Monsaraz ao Grande Lago.

Para esta zona, nas margens da albufeira, estão previstos vários complexos turísticos, entre eles o Parque Alqueva, que prevê um investimento superior a mil milhões de euros e pretende criar cerca de dois mil postos e trabalho, envolvendo aldeamentos turísticos, hotéis, agricultura biológica, campos de golfe, centro equestre e campos e férias. [...]

" Estes investimentos em projectos rodoviários
são feitos a pensar nas populações que aqui vivem,
mas também a pensar nas pessoas
que vêem visitar esta região
"

declarou Paulo Campos [...]

A jornada alentejana terminou em Portel, distrito de Évora, com o governante a assistir à apresentação da obra de requalificação da ER 384 entre Portel, a Barragem de Alqueva e o Rio Ardila."


@: aeiou.visao.pt

20 comentários:

Anónimo disse...

Então e nós? Afinal o nosso "sol do alentejo" está assim tão escondido ? Ai Ai

ENFRASCADO disse...

Eu sei onde esta, eu sei, eu sei!! Está debaixo das patas dos socialistas que querem o mundo só para eles. Se eles podessem mais ninguem respirava. È so Câmaras do partido socialista a comerem tudo e os outros a verem! È um escandalo o uso do poder do estado da maneira como o estão a fazer. A governadora civil é um ponta de lança do governo, os ministros andam ai aos cachos, até ja aborrecem. Como não têm nada que fazer vão jantar a Evora, embebedam-se e depois vão com a BT caçar os bebados. O partido socialista no seu melhor!!

Anónimo disse...

Então cá em Viana não há socialistas?
O PCP nunca foi Governo, era o paradigma do poder local e agora é que se anda a queixar dos Governos?
Não haverá aqui uma grande falta de iniciativa por parte do executivo da Câmara? Então digam lá quais os projectos a que se candidataram e se o fizeram, quais foram regeitados?

Anónimo disse...

Bom, só se querem fazer também a barragem do charrama. Ou então mudar-se o curso do rio Guadiana, para passar pelo nosso concelho.

Anónimo disse...

Felizmente os socialistas que há em Viana não estão na CM! Fizeram lá pouca porcaria quando lá estiveram.
Para que gastar tempo a dizer que é o Governo que dificulta o funcionamento das Autarquias, toda a gente sabe que é, todos vimos e ouvimos televisão todos os dias, o que o Governo quer é acabar com o poder das Câmaras Municipais,
entre outros serviços essenciais á população, tais como: Centros de Saude, Postos de GNR, Serviços de Finanças, Registo Civil, Postos dos CTT......, será que estou errado ou estarei a viver num Pais diferente do vosso.
Velho Potes

Anónimo disse...

Todos falam em Reformas mas depois quando o governo a faz, já não as querem. Há serviços que não fazem falta e são desperdício de dinheiro. O governo está a fechar algumas coisas bem. Pena que o município não faça nada para abrir nada com futuro é só obras da treta para gastar dinheiro dos impostos como piscinas .

Anónimo disse...

A ponte um dos serviços mencionados em cima que não seja necessário para a população.

Anónimo disse...

A repartição de finanças...

Anónimo disse...

Velho Potes olhe que que se é verdade que não são os socialistas que estão na câmara também é verdade que também não são comunistas os que por lá andam.
Ser Comunista tem a ver com muito mais que andar com um emblema ao peito, pratica-se e vê-se nos actos do dia a dia e ao longo da vida.
Por exemplo (já por aqui li e concordo), é-se músico porque se compõe ou toca, não porque se andou no conservatório; é-se médico, não porque se tirou um curso, é-se porque se exerce.
E está certamente a viver num país diferente do da grande maioria dos Vianenses. Uma prova - há muito que não vamos de férias.

Anónimo disse...

Este último comentário em meia dúzia de linhas reproduz de forma correcta aquilo que nós todos sabemos e sentimos. Vieram, sentiram-se bem, ficaram por cá, vivem que nem uns aristocratas e ….. pouco ou nada se faz.

Anónimo disse...

Não ando por aqui a discutir o que é ser comunista socialista ou sela lá o partido que for ( nem quero), tenho sim é olhos na cara e sinto na pele as consequências desta governação e penso ou sei que não sou o unico, no que respeita a férias o que eu acho é que vái de férias quem pode,tal como,ir ao restaurante, ou comprar carro novo, ir de férias ou comprar um Ferrari não fica mal a ninguém desde que quem o faça tenha dinheiro para o pagar. Eu defendo que não se deve viver a vida em função dos outros ( tu compras eu também quero) mas deve sim ser á medida da nossa carteira, por isso também não posso concordar que por o sr. não poder ir de férias os outros que podem também não irem.
Sobre os que vieram e se instalaram ainda bém que assim foi, venha mais que nós percisamos é de população.
A um comentador que diz que as Finanças não fazem falta, essa pessoa não sabe o que está a dizer, ou então nunca lá vai, porque esse serviço está sempre cheio de gente e eu parece-me que as pessoas não vão lá só porque lhe apetece.
Velho Potes

Anónimo disse...

Grande discurso da tanga para quem diz que sente na pele as consequências desta governação.

Entre ricos e pobres alguém há-de escapar. O que é preciso é ter dinheiro para comprar carro ou ir de férias à medida da carteira de cada um.
Como a riqueza de um país é distribuída, isso já não interessa, uns andam de Ferrari e outros andam a pé.

A ideologia, candeia que nos deve iluminar, enquanto interventores sociais, mandamo-la às malvas e andamos ao sabor do vento.

O melhor é dedicarmo-nos à pesca

Anónimo disse...

Andas a pé???, ou és dos que tem 2 carros em casa?
O que é preciso é trabalhar, e saber poupar, e dai vem o dinheiro,pouco, mas dá, porque férias não é só em hoteis de luxo, e carros não é só Ferraris.
Parece-me pela tua conversa, que és dos que muda de opnião quando mudar de governo.
Velho Potes

Anónimo disse...

Quem é que levou tudo isso? Os tipos da Câmara? O partido socialista não tem nada que ver com isso, claro...!
Onde estão os 150.000 novos postos de trabalho? Onde estão os apoios ás empresas? Onde está o crédito jovem á habitação? O arrendamento jovem? O apoio social? Sabem onde? NA GAVETA.
O que nos deram foi desemprego, impostos mais altos, redução nas pensões de reforma, encerramento do centro de saude e outros serviços que estão na calha. Os socialistas de cá são concordantes com esta politica de destruição. Não são? Onde se opuseram? Quem já os ouviu? Ninguêm. Assobiam para o lado mas não vai durar para sempre. Serão desmascarados.

Novo Potes disse...

É verdadeiramente impressionante a necessidade do Sr. Pacheco afirmar tudo o que diz respeito ao Concelho pela negativa. O trabalho que tem a deitar abaixo tudo o que de bom acontece só é ultrapassado com a vontade de rebuscar exemplos "bons" em todo o País para que aqui sejam arremessados contra o Concelho. O Sr. Pacheco está ao serviço do Partido Socialista na tarefa de tentar que por cá não se fale das asneiras do governo, da miséria de Portugal e dos Portugueses devido ao (des)governo que temos e a procurar minar o Concelho de Viana, como uma toupeira, fora da vista dos outros. Não deverá ter sucesso porque se tivesse estaria a criar um Concelho muito pior do que aquele que temos. Ele e os seus pares estão organizados e toda a atenção é pouca. Lembram-se dos vampiros ?? "Eles comem tudo...". São estes socialistas famintos por poder e animados de sentimento de vingança que andam por ai. Felizmente que as pessoas têm memória e não vão cometer outra vez o erro de acreditar neles.

Anónimo disse...

Estou-me nas tintas para os partidos, são todos iguais.

Quem faz pender os pratos da balança eleitoral são pessoas que não têm côr política.

Interessam sim, os resultados para o concelho, das acções de quem supostamente nos deveria governar e não só governar-se.

Não atirem a bola para as pitas com conversas de política nacional, falem da local, ideias, queremos ouvir as vossas soluções para os problemas do concelho.

Assim como já estamos a ver estes nossos pseudo comunistas a irem à igreja e a andarem a cavalo, ainda os havemos de ver a concorrerem pelo ps,psd, como provedores das misericórdias e coisas assim.

E se já não há princípios ideológicos, se são todos iguais, porque não eleger-mos alguém da côr do governo. É que assim não passamos da cepa torta. Algum problema com isso?

Anónimo disse...

Velho Potes,
A minha mãe pede, se faz favor, para lhe explicar como é que, dificilmente sobrevivendo com dois ordenados mínimos, ainda se consegue ir de férias.
PS
Não tenho avós ricos e o BES que é dono de tudo cá em casa, diz que não empresta mais.

Anónimo disse...

Eh eh tenho a certeza que para esses cargos não devem concorrer. Porquê perguntam voçês ? Porque não ganham "massinha" como nos poleiros que estão habituados a ter.
Fiquem bem

Anónimo disse...

Ó sr. pobrezinho quem não pode ir de férias não vai, esse sim o bom principio, o outro principio, que é o se os outros vão eu também vou, ou se os outros têm eu também tenho, está mal porque as vidas das pessoas não são todas iguais: Nem nunca foram!
Não quer dizer que o mais pobre seja mais ou menos sério que os outros.
Velho Potes

Anónimo disse...

Numa casa portuguesa fica bem pão e vinho sobre a mesa.

Quando à porta humildemente bate alguém,senta-se à mesa co'a gente.

Fica bem essa fraqueza, fica bem, que o povo nunca a desmente.

A alegria da pobreza está nesta grande riquezade dar, e ficar contente.

Quatro paredes caiadas,um heirinho á alecrim,um cacho de uvas doiradas, duas rosas num jardim,
um São José de azulejo sob um sol de primavera,uma promessa de beijos dois braços à minha espera...

É uma casa portuguesa, com certeza!

É, com certeza, uma casa portuguesa!

No conforto pobrezinho do meu lar,

há fartura de carinho.

A cortina da janela e o luar, mais o sol que gosta dela...

Basta pouco, poucochinho p'ra alegrar uma existéncia singela...

É só amor, pão e vinho e um caldo verde, verdinho a fumegar na tijela.

Quatro paredes caiadas,um cheirinho á alecrim, um cacho de uvas doiradas,duas rosas num jardim, um São José de azulejo sob um sol de primavera, uma promessa de beijos dois braços à minha espera...

É uma casa portuguesa, com certeza!

É, com certeza, uma casa portuguesa!

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.