5.27.2008

Poder Autárquico



Como sabem bem as gerações políticas, como a minha, formadas
na oposição a um regime autoritário de partido único, a alternância
no poder é um valor fundamental da democracia. Frase do então Presidente da República Jorge Sampaio por ocasião da tomada de posse do XV Governo Constitucional.

Relativamente ao poder autárquico a Lei n.º 46/2005, de 29 de Agosto estabelece limites à renovação sucessiva de mandatos dos presidentes dos órgãos executivos das autarquias locais.

O presidente de câmara municipal e o presidente de junta de freguesia só podem ser eleitos para três mandatos consecutivos, salvo
se no momento da entrada em vigor da presente lei tiverem cumprido
ou estiverem a cumprir, pelo menos, o 3.º mandato consecutivo, circunstância em que poderão ser eleitos para mais um mandato.



O presidente de câmara municipal e o presidente de junta de freguesia, depois de concluídos os mandatos referidos no número anterior, não podem assumir aquelas funções durante o quadriénio imediatamente subsequente ao último mandato consecutivo permitido.

No caso de renúncia ao mandato, os titulares dos órgãos referidos nos números anteriores não podem candidatar-se nas eleições imediatas nem nas que se realizem no quadriénio imediatamente subsequente
à renúncia.

Essa lei entrou em vigor no dia 1 de Janeiro de 2006, pelo que o actual presidente da Câmara de Viana do Alentejo pode eventualmente ver renovado o seu mandato se for candidato e ganhar as eleições de 2009.

Estando a cerca de um ano de terminar o seu 4.º mandato consecutivo, sufragado em eleições democráticas, a maioria dos eleitores
do concelho de Viana do Alentejo, votaram maioritariamente
em Estêvão Pereira.

Ainda não chegou o momento para que eu exprima neste local a minha opinião sobre as quatro abadas consecutivas que as oposições levaram nestes 4 últimos mandatos. Acrescentarei apenas que uns tantos dirão que foi mérito do actual presidente e outros dirão que foi falta
de credibilidade das oposições. Não deixa de ser verdade que existe
uma correlação forte entre os duas perspectivas de analisar
os resultados das eleições.


Os que não se revêem na actual maioria, entre os quais eu me incluo, apenas têm que respeitar a vontade expressa nas urnas pela maioria
dos eleitores, com humildade e pensem que esses maus resultados,
são em grande parte fruto da nossa incapacidade em oferecermos
uma alternativa credível aos eleitores do concelho.

Espero que este ciclo venha a terminar nas eleições de 2009
e que os eleitores deste concelho possam finalmente rever-se naquilo
que as actuais oposições têm para oferecer.

Elias Parreira

Recebido em: vianadoalentejo@hotmail.com

32 comentários:

Anónimo disse...

Muito bem.
E então a oposição não faz nada?
Vá lá nós estamos à espera de acção e renovação!
Organizem-se e cortem as amarras que vos tem prendido, deixem-se de lamentar e façam alguma coisa.
Uma lufada de ar fresco, já vem a calhar!

Anónimo disse...

Apesar de não me rever na posição final do Sr. Elias, não posso deixar de lhe dar os parabêns pela forma como se manifestou neste blog, a verdade é que não é habito haver comentários tão sensatos ( mas claramente de oposição á actual maioria) que motivem a dar opnião.Parabéns
Velho Potes

Roberto disse...

Esta lei é tardia!
A fixação de certas pessoas à cadeira do poder não é uma coisa muito positiva, pode levar para caminhos perigosos, muito perigosos.
Também é verdade que essas pessoas só lá estão porque votam nelas, mas também não deixa de ser menos verdade que depois das eleições há uma especie de barreira entre os eleitos e os eleitores, ou seja, os eleitores não tomam conhecimento de metade das coisas que são decididas numa câmara municipal, tomam apenas conhecimento daquilo que convém aos presidentes.
É sempre bom que exista renovação para que se possa quebrar os vicios criados e impedir que cresçam raízes, e tal como no feudalismo, permitir quebrar os laços feudais entre os senhores e os seus vassalos.
Devemos exigir à oposição que faça a sua oposição nos locais apropriados. Sería muito injusto dizermos que não há oposição, claro que há, mas uma maioria é uma maioria, para o bem e para o mal!
Eu também espero que em 2009 exista renovaçao, este disco já está riscado, merecemos ouvir uma nova música!
Cumprimentos
Roberto Vinagre

Anónimo disse...

O problema da duração dos mandatos, não deve ser em função de uma lei, mas da verticalidade das pessoas e da postura dos respectivos partidos.
Mas pelo que se sabe aqui em Viana para perpetuar as pessoas no poder conta muito a clientela em que se aposta ao longo dos tempos colocando toda a familia a depender da camara.
Uns por lhes assegurar uns tachos com bares, cafes e restaurantes mesmo fechando os olhos a algumas ilegalidades, outros colocando-os a trabalhar na camara e outros ainda prometendo-lhe resolver os seus problemas mais imediatos.
Será verdade que até um dos novatos já garantiu que se vai perpetuar no poder quer eles queiram ou não, pois quem manda já lhe garantiu que pode estar certo que vai ser eleito mais quatro anos. Onde estamos, tenham vergonha e respeito pelos outros.

Anónimo disse...

O disco está riscado?
Não está nada. É em vinil e a 33 rotações. Quem não trabuca não manduca. O problema é que a lógica da oposição é a mesma dos que estão lá. Em vez de ser a da inteligência e da prosperidade, que essa sim é de abertura, comunicação e troca de ideias.
A oposição não põe em causa o sistema vigente, nem se escandalizada frente ao povo, porque pensa que o mesmo sistema a vai servir, quando esta maioria cair de podre.
Vejam o exemplo nacional (com outras siglas).
Os nossos políticos para além de serem pouco inteligentes agora são madraços, já não fazem oposição, esperam que os outros caíam.
Ou a maioria dos outros afecta a nossa massa cinzenta? Só se formos invejosos e quisermos "mais do mesmo".

Febras Magano

Anónimo disse...

Atenção meus Sr.s que não concordem tudo bem mas as pessoas ( e Vosses) não se informam e participam porque não querem!
Há uma reunião da Câmara, não sei bem quando mas parece-me que é por mês que é aberta ao público, é feita também pelo menos uma Assembleia Municipal de 3 em 3 Meses, e segundo sei o Sr. Presidente faz atendimento todas as quintas feiras para quem lá aparecer, e não me venham dizer que nas reuniões de CM e nas Assembleias só podem ir Comunistas porque a entrada é livre e para responder estão lá presentes todas as forças politicas, só que é verdade mandar bocas é mais facil, e nada fazer ainda mais facil é !
Velho Potes

Anónimo disse...

O debate político não se faz apenas nas reuniões da câmara ou nas da assembleia, deve ser o mais alargado possível, por isso entendo que comentar artigos num blog nao é "mandar bocas", mas sim contribuir para esse debate.
Compreendo que defender os "senhores camararios" começa a ser uma tarefa complicada e muito ingrata. Vão longe os tempos aureos da governação comunista, onde os camaradas davam umas palmadinhas nas costas e estava tudo bem. Hoje esta tudo mal, há intrigas, muitas intrigas. Pelo que parece é o próprio partido que está farto desta governação, e não me admira nada que algumas pessoas dentro do partido já estejam a contar os dias que faltam para as eleições.
Cá para mim os camaradas podem ter as zangas que entenderem, desde que isso não prejudique a governação na câmara, que deve estar acima de qualquer outra questão.
É urgente o bom senso!
Cumprimentos
Roberto Vinagre

Anónimo disse...

Caros Bloguistas, faço parte da maioria das cidadãs(aos) que praticamente se limitam a exercer o seu direito de voto de 4 em 4 anos.
Pelo menos, quando há eleições, vou lá colocar o meu boletim de voto, pois a abstenção sendo um direito que assiste a todos os eleitores e tendo “os significados” que sabemos, ao atingir valores muito elevados, pode pôr em causa a legitimação do próprio sistema democrático.
Muitas pessoas expressam o seu voto pela negativa, não o fazem a favor do partido ou coligação que assinalam no boletim de voto. Nesses casos esse comportamento traduz o sentimento de protesto, de utilidade ou de oposição ao partido A ou B.
Sabemos que cada vez é mais difícil a PARTICIPAÇÃO DOS CIDADÃOS na reflexão sobre a gestão da coisa pública fora dos partidos - a desilusão das pessoas é a regra.
“Temos assim, e de facto, não uma sociedade de cidadãos, na sua totalidade, mas uma sociedade de muitos desinteressados pelo poder ou súbditos.
E a democracia sem cidadãos não existe como tal e plenamente em toda a sua horizontalidade mas apenas em certos sectores verticais porque havendo cidadãos desinteressados ou que se dobram e prestam homenagem a outros, não são cidadãos mas súbditos.
É evidente que há muitos outros cidadãos, que mesmo sem alcançar posições de poder político, lutam pela sua cidadania, pela verdadeira iniciação ao SABER e não ao Poder.” *
É por isso que a maioria de nós aqui está neste pequeno espaço de participação cívica, mas acredito que não é legítimo estarmos sempre a falar na oposição com palavras como: eles não dizem, eles não fazem, onde é que eles estão etc. etc. Talvez seja mais justo empregar-mos os verbos na primeira pessoa do plural: NÓS não dizemos, NÓS não fazemos, onde é que NÒS estamos.
Não é preciso estar muito atento para saber que este poder autárquico, emanado duma amálgama de interesses que no nosso concelho se designa por CDU, sem ideologia e sem rumo, desvirtuando o sentido da palavra AUTOCRÍTICA, como sendo “o processo de análise crítica de um indivíduo (ou, colectivamente, de uma sociedade ou instituição) sobre os seus próprios actos, considerando principalmente os erros que eventualmente tenha cometido e suas perspectivas de correcção e aprimoramento” ** , convive muito mal com a crítica dos Vianenses, mesmo quando ela pretende ser construtiva.
Para além de outras tácticas, num lógica totalitária, estrangula quanto pode a oposição política, relega também para segundo plano a PARTICIPAÇÃO DOS CIDADÃOS NO GOVERNO DA AUTARQUIA, omite descaradamente o trabalho emanado pelos órgãos democraticamente eleitos.
A quase ausência de informação disponível no site da Câmara com o atraso na publicação das respectivas actas, bem como a total omissão do trabalho realizado pela Assembleia Municipal são disso exemplo. O boletim municipal de papel caro, completamente esvaziado de substância, cujo conteúdo passa pela descrição de algumas festarolas e pouco mais, vai também desempenhando esse macabro papel.
Assim, quando alguns cidadãos retiram algumas horas ao seu descanso, com a intenção de levar à discussão pública temas do nosso quotidiano, o poder instituído e seus correligionários, fieis ao paradigma do enterrado “centralismo democrático”, ignorantes da dimensão do descontentamento que grassa no nosso concelho, COMEÇAM FINALMENTE A FICAR AGITADOS.

Carlota Fialho

*http://sol.sapo.pt/blogs/vickbest/archive/2007/02/28/A-Cidadania-e-a-Ideologia-de-_2200_Inicia_E700E300_o_2200_-ao-Poder.aspx
** http://pt.wikipedia.org/wiki/Autocr%C3%ADtica

Anónimo disse...

este extenso comentario da D. Carlota, lembra a fabula do caçador quando vai ´caça com os seus caes.
Ele dá as ordens e os canitos/as vão latindo para espantar a caça, para depois o caçador atirar a matar.
Não quero acreditar que na camara o presidente já esteja nessa situação, embora existam por lá umas cadelitas que pouco mais fazem que é a defesa do "dono" mas nem para um matilha chegam logo desfolam-se na defesa do tachito pois de outra maneira nada faziam para o defender.

Anónimo disse...

Eu se fosse a este camarada, por uma questão de lealdade para com o dono, punha na Câmara uns rafeiros para guardar o Sr. Presidente, pois a matilha que ele refere comandada pelos assobios do caçador e ao som do ensurdecedor tiroteio que se avizinha pretende tomar a Câmara de assalto.
Quanto aos tachitos, será que estão na posse dos canídeos que o camarada indica?

Anónimo disse...

Gostei deste jogo de palavras entre caça, caçador, cadelitas, dono,tachitos, matilha, assobios, tiroteio, rafeiros... Bastante sugestivo e indicador de muito mais do que o que é escrito!!

Anónimo disse...

quem conta a fabula do caçador tem a sua piada, e pelos vistos na sua caçada deu com alguma toca, pois alguem se sentiu, porque será?
Não será mais proveitoso gastar o tempo dando mais atenção ás ruas de Viana, olhem para as Alcaçovas e vejam como estão arranjadas, ou Alcáçovas não pertence ao Concelho?
Há dois anos que vivo em Viana, por aqui não tenho visto acontecer nada, as ruas são uma lastima, as entradas da vila não são cuidadas. Vim viver para aqui porque acreditei, sendo um concelho pequeno, podia ter mais qualidade de vida enganei-me. Aqui nestes blogs fala-se muito nos comunistas e na cdu, mas eu sempre vivi em concelhos geridos pela cdu e nunca vi uma vila como viana.....

Anónimo disse...

Inteiramente de acordo meu caro ou carissima... Mas sabe que por aqui houve um vento que passou e a porra destes autarcas, não querem saber das ruas, das entradas da Vila, de nada... Ah estava-me a esquecer, gostam de entradas mas é de outro tipo... E nem vou dizer quais, senão o gestor do blog vai ter de retirar o meu comentário. E já agora Alcáçovas pertence ao concelho... a diferença é que lá a junta ainda vai fazendo por aquilo. É que não sei se sabe mas isto das coligações e dos partidos é feito por pessoas e com pessoas e as diferenças que existem de ser para ser, nem sempre são para melhor... E andou por aí um vento que desnorteou algumas cabeças... Eu não acho bem termos de sofrer as consequências do desnorte de alguns , mas o que podemos nós fazer...
Alguém sugere alguma coisa que valha a pena fazer para mudar isto e pormos Viana mais cuidada?

Anónimo disse...

Verifico que alguns concidadãos vão estando cada vez mais despertos
para e estado da nossa vila. Temos um vila suja,abandonada, sem qualquer beleza a não ser a sua beleza natural, mas mais grave é a propria autarquia que nada faz para dar o exemplo. Para isso é preciso haver disponibilidade para uma gestão presencial e qualidade dos eleitos será que haverá? Há dias um amigo que passou pela vila de viana, telefonava-me a dizer estive na tua terra, aquilo mais parece uma terra fantasma! Confesso que no momento fiquei triste e até chocado mas aos poucos fui reflectindo e penso que ele tem razão na afirmação. Já que não existem ideias nem vontade de fazer melhor, que sejamos nós a dar ideias e levantar os problemas. Pela minha parte devíamos começar por uma grande limpeza em toda a vila e apresentar um programa global de embelezamento das entradas da vila. O desafio fica lançado.

Anónimo disse...

nesta camara tudo é permitido, não arramjam os espaços publicos mas ha cunhas à descarada, primeiro foi o filho do ZÉ da Junta das Alcáçovas que foi para a camara trabalhar agora é a mulher do zé da agua. que descaramento!!!
Dilar

Anónimo disse...

Infelizmente não sei escrever muito menos mexer nestas máquinas mas com ajuda da minha neta quero aqui colocar um relato de uma situação passada comigo.
Tou no desemprego queria ir trabalhar para ver se ganhava mais algum dinheiro, fui falar com a Carla disse para ir falar com a secretaria do presidente lá fui disse que não era com ela mas com uma tecnica do desemprego, no mesmo dia foi lá uma pessoa mais nova que eu e com muito mais possibilidades, disse-lhe que ia ver no que podia ajudar pois estavam a precisar de gente.O facto é que eu estou na mesma e outras foram foram trabalhar para a Câmara com o empenho da tal secretaria. não somos todos iguais, eu por ter mais de 40 anos já não me deixam ir trabalhar mesmo estando no desemprego e as outras vão, porque existem estas desigualdades e descriminações não entendo estas desigualdades. Desta forma não existe união eu até penso que isto não pode acontecer porque isto são injustiças muito grquem tanto precisa.andes para

Anónimo disse...

Velho Potes
Uma correcção: o atendimento do sr. presidente da cmva, já não é à quinta feira, por causa dos estudos da psicologia ou de outras coisas, não sei bem... O que interessa é informar bem as pessoas: o atendimento é às terças feiras a partir das 10 horas... Ah e já agora não é se as pessoas aparecerem é se o sr. presidente já tiver chegado acompanhado pela chefe da dase, depois do belo pequeno almoço perlongado e muito reconfortante... E se o municipe passar pela/na triagem... sim criticam o sistema de saude que temos mas fazem igual (há triagem e consultas abertas e também algumas fechadas...)! Enfim é de lamentar, mas é assim que acontece por aqui... Quem tiver dúvidas pergunte a um qualquer funcionário da cmva, que todos sabem... durante algum tempo havia disfarçe de algumas coisas, mas agora é tudo à descarada... É cada esquema !!! E desde que a PJ lá esteve então é que perderam o norte de vez, fazem cada uma...
Afonte

Anónimo disse...

Não é mesmo nada verdade o comentario anterior e este e daqueles que mais facilmente se demonstra a mentira e as mas intençoes com que è feito. Basta ir à Câmara às 3ªs feiras e verificar que todas as pessoas são recebidas pelos eleitos, sem triagem nenhuma. Quem duvidar É IR EXPERIMENTAR.È sò mais uma daquelas que andam a fazer.

Anónimo disse...

(em relação ao antepenúltimo comentário)
Amigo, sugiro-lhe que contacte a Escola Dr. Isidoro de Sousa e se informe sobre onde são ministradas as aulas de ensino recorrente no Concelho de Viana.
O aprender a ler é um direito básico que tem como cidadão e um dever que tem para consigo - não se exclua.

Anónimo disse...

humm... gostei de saber que só a triagem é que é questionada! Mas quem diz que não acontece MENTE ou não vai lá enquanto municipe ou tem tratamento vip ou circula por lá como se estive se em sua casa... Porque a triagem existe de facto, que eu já fui alvo da mesma e a secretaria que cuide da arrogancia com que vai tratando uns e outros, porque um dia o diabo pode tecelas e nem o patrão lhe vale!

Anónimo disse...

Em relação a mandarem para a escola alguem que certamente para poder comer, não pode estudar... Haja descaramento! Porque não pode fazer como alguns o fazem - à pala do herario publico! Mostra a falta de escrupulos que andam por ai... E já agora dizer que o que o sr. com mais de 40 anos diz é verdade e outras tramoias tambem acontecem em relação à colocação de desempregados na camara... Não vale a pena desmentirem porque é do conhecimento de cada vez mais pessoas que passam pela carla, pela maria teresa e pela tecnica de emprego destacada para o concelho. Seria facil juntar todos e dizer-lhes para contarem as más experiencias que tem tido no contacto com estas três personagens! Há uns que não servem porque para a maria teresa tem carradas de defeitos (não sei se ela tem espelhos em casa), há outros que até lhes é prometido que lhes arranja um bom trabalhinho (não sei a troco do quê), há outros que vão criando raizes por lá (fazem tanta falta e já sabem tanto, que tem de ser sempre os mesmos)... Querem mais ?
Há muito mais para contar... Porque nós podemos não ter estudos, mas não somos burros e sabemos que se aproveitam da actual situação social e de desemprego das pessoas para as humilhar e ajudar não aqueles que mais precisam, mas sim aqueles que lhes convém...
Se estudassem à vossa conta não tinham certamente tanta aptidão para querer humilhar quem tem necessidades e tentar detorpar as injustiças diarias que praticam! E consciencia é coisa que não tem ou não agiriam assim...
Se quizerem mais é só pedir, que o reportorio das ocorrencias por ali registadas é extenso!

Anónimo disse...

Nos dias que correm, acha mal aconselhar alguêm a alfabetizar-se? Se calhar é melhor vergar à autocomiseração de que os outros são maus e de que o mundo é injusto? Que o mundo é injusto já todos nós sabemos e os outros são maus porque nós não fomos/somos bons o suficiente para lhes trocar as voltas.

Se "Há muito mais para contar...": CONTE!

Anónimo disse...

Psicologia errada... iololol

Anónimo disse...

Eu diria muito esclarecedor... O barrete enfiou como uma luva! E afinal sempre há bons e maus e temos que aprender a lei da sobrevivencia na selva para trocar as voltas, não... hummmmm! Ao quê? Porquê?
Se o Filipe cá estive-se ele te diria...

Anónimo disse...

Aconselho o “irresponsável” anónimo que manda para a escola o conterrâneo desempregado que coloque mais um comentário com o seguinte texto:

Errata: onde se lê “alguêm” deve ler-se “alguém”.

Como diz o povo no melhor pano cai a nódoa e porque não também nos nossos panos? Ninguém é perfeito, por isso escrever e interpretar com erros é normal, não é por aí que vem mal ao mundo, pois o que interessa, com ou sem erros, é podermos expressar livremente a nossa opinião.

Mas, no mesmo tom enfatuado do iliterato anónimo que sentindo-se espicaçado encaminha o compatriota desempregado para a escola vou tentar interpretar o texto, entendido por toda a gente, para que finalmente se possa ir direito ao que é essencial:
• Revoltado simultaneamente com o seu dramático desemprego e com o comportamento que obteve dos Serviços da Câmara, pediu à neta para relatar para o Viana e Tal esse episódio, pois não sabe escrever e muito menos dominar as ferramentas informáticas;
• Dirigiu-se à Câmara para pedir algum trabalho para ganhar mais algum dinheiro;
• Falou com as pessoas escaladas para tratarem destes assuntos;
• Saiu da Câmara sem ver o seu problema solucionado e, segundo o seu ponto de vista, outros na sua situação, mas menos necessitados que ele, tiveram sorte diferente.

O que queremos saber é se o relato é ou não verdadeiro, para eventualmente poderem ser imputadas as respectivas responsabilidades.

Porque das três uma: o munícipe desempregado não existe – são ossos do ofício deste tipo de informação aberta; existe e está a dizer mentiras – deve ser responsabilizado por quem de direito ao estar a difamar a Câmara; existe e fala verdade - há compadrio na Câmara e nessa medida deverão que ser acatadas responsabilidades aos seus autores e respectivo executivo.

Por último, à semelhança da maioria das pessoas da minha geração, os nossos avós, pais tios e tias eram quase todos analfabetos e de pé descalço. A maioria das pessoas, entre as quais eu me incluo, tem o maior orgulho em ser descendente desta gente humilde mas sábia de cara limpa e trabalhadora. Considero da maior baixeza moral e ética, comentários depreciativos contra estas pessoas, cujo único objectivo é calar-lhes a voz.
Sei muito bem de onde vem este comentário hipócrita, lastimo é que seja à conta desta gente humilde, à semelhança do antigamente, que estas novas pseudoelites locais, envergonhadas das suas origens humildes têm trepado por aí acima, sem nada fazerem consistentemente por aqueles que dizem defender.

Carlota Fialho

Anónimo disse...

Caríssima Carlota,

Quando o diálogo político cai na demagogia eu demito-me. Mas mesmo assim, aqui vão umas linhas.

Continuo a afirmar, a melhor/primeira forma do cidadão se valorizar é alfabetizando-se.

Dispensava o racional dos prováveis cenários que fez da situação. Respondi a um problema humano que achei gritante, de uma forma que me pareceu honesta. Pelos vistos fui mal recebido.

Afianço-lhe que não faz a mínima ideia de onde veio o comentário "iliterato e hipócrita" e que cago no acento circunflexo.

Sempre a considerá-la,

Anónimo disse...

Pra ti demagogia deve querer dizer quando se entra na verdade, tu demite tes... Tangas! Blufs!
A formação é uma mais valia... Mas não resolve a falta de pão na mesa! O teu pai nunca te ensinou que ter dificuldades e problemas a serio é não ter pão pra por na mesa... oh incenssivel!
E já agora dizer à Carlota: que o sr. com mais de 40 anos diz é verdade e o comentário que conta mais umas ocorrencias tambem. É facil confirmares é só falares com aqueles que estão desempregados e são cada vez mais e perguntares como tem sido o atendimento profissional e social ? é que não tem nada de profissional, nem de social, mas os lesados parecem estar errados e tem de ir pra escola e os outros é que estão certos!

Anónimo disse...

Epá...Ou então a carlota... que ninguém sabe quem é, tambem tem o seu cursito superior e gosta de ser a literata cá da terra...em terra de cegos...Põe-te em guarda rita, põe-te em guarda. O que é que a personagem advoga para o futuro do concelho...até agora só a vi a dizer mal...e comentar a circunstancia
E faz uns comentários manhosos (assim como este, cheio de erros ortográficos) para manipulara a malta.

Anónimo disse...

Nem todos escrevemos bem, nem todos sentimos igual... Todos iguais, todos diferentes ou todos diferentes, todos iguais... iololol

Manhosos ? Porque ? doi, doi, doi onde ?

Queres ideias ou queres perceber o quê ?

Anónimo disse...

Tanto oido..... parece ke tamos em guerra. Aki o penultimo companhêro com uma escrita tão escorrêta servindo de corrector ortográfico ao texto da Calota, na ansia de teklar engana-se na ultíma palava. Porrakédemais.

Anónimo disse...

é isso é... só querem distrair e desviar as atenções do que interessa pra continuarem a enrolar tudo e todos... Mas vai a estar dificil, porque cada vez mais o povo olha e vê a realidade e as verdades que nos tentam esconder... pois é tudo isto que nos vai ajudar a avaliar e a decidir! MAS A MALTA ESTÁ MUITO ATENTA... e está cada vez mais dificil iludibriar os que pensam ser parolos!

Anónimo disse...

Também acho! A malta tá mesmo muito atenta!

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.