6.23.2008

Autarcas defendem
extinção de Concelhos





As presidentes das câmaras de Nisa, Vila Franca de Xira e Leiria defenderam, na Figueira da Foz, a extinção das autarquias menos populosas como forma de reduzir a despesa pública e aumentar a eficácia dos serviços.




"A ideia da extinção ou fusão dos concelhos e freguesias portuguesas com poucos habitantes foi lançada durante um debate, no Casino da Figueira da Foz, subordinado ao tema "O poder autárquico na próxima década", que juntou actuais e ex-presidentes de câmaras municipais e outras personalidades com responsabilidades públicas.

"Joaquim de Sousa, ex-presidente da Câmara da Figueira da Foz, [...] avançou com a ideia da necessidade urgente de uma reforma administrativa para combater desperdícios públicos" [...]

"Maria da Luz Rosinha (PS) presidente da Câmara de Vila Franca de Xira [ex-presidente da Junta Metropolitana de Lisboa], não só concordou com a ideia, como inclusive lançou um desafio ao Governo do seu partido para assumir esse desígnio" [...]


Presidentes de câmaras
pedem reforma corajosa

para acabar

com autarquias pequenas


"Gabriela Tsukamoto (CDU), presidente da Câmara de Nisa [...] corroborou a necessidade urgente de redução de autarquias, quer por extinção, quer por fusão [...]

"Isabel Damasceno (PSD), presidente da Câmara de Leiria, concordou que os actuais 308 concelhos e e 4261 freguesias são excessivos, mas mostrou-se muito céptica quanto à existência de vontade política para proceder a uma reforma administrativa que elimine autarquias. Tsukamoto, apesar de solidária, alertou: "se acabassem com os concelhos com menos de cinco mil habitantes, o que seria do Alentejo?" [...]

@: Jornal de Notícias - versão impressa - 19.06.08
Recebido em: vianadoalentejo@hotmail.com

11 comentários:

Anónimo disse...

Sonho com o dia em que a noticia seja: "CONCELHOS DEFENDEM EXTINÇÃO DE AUTARCAS"...

Anónimo disse...

Concordo com essa frase, embora com uma pequena alteração, autarcas que pela sua postura só pensem neles e voltam as costas ao povo que os elegeu. No caso do nosso Concelho temos autarcas dedicados e empenhados e temos outros que raramente se veem como é o caso do Presidente da Câmara é mais o tempo que está fora do que estaá a pensar nos problemas da nossa terra.
Segundo o que se vai dizendo esta ausencia deve-se a negócios? Quais e com que interesses? alguém responde?

Anónimo disse...

É fácil perceber e nós por cá vamos vendo as movimentações, há muito que nem disfarce ou máscaras põem...

Oh quintas e quintinhas, carros e carrinhas, negócios imobiliários, negócios de saias e calças, troca de favores, lavagem de roupa também há alguma, mas muita lavagem de dinheiro no Millenium (dizem)... Eu cá não sou de intrigas, mas que há muito fumo negro há...

Oh e conversas então, são mais que as cerejas...

Os comos e os porquês aos poucos virão à tona...

Vamos falando, partilhando e ao mesmo tempo ficando bem mais esclarecidos...

Combinado ?

jose luis disse...

grande fineza de comentario escondido num anonimato. Adoram "bocas" escondidas, tenham coragem e identificam-se. Cabada de ignorantes

Anónimo disse...

Ó meu jl, com essa firmeza de carácter que revelaste no teu comentário fiquei completamente siderado. Então porque é que não assinaste o teu nome dando também a cara? A coragem que tu exiges dos outros nas “bocas que vamos mandando”, são iguais às tuas com uma diferença. Sê coerente com aquilo que recomendas aos ignorantes, segue a tua própria recomendação, e dá o exemplo à plebe identificando-te.
Com teu exemplo a populaça fiaria sabendo de imediato onde tu andaste à escola e certamente iríamos todos a correr, junto desse estabelecimento de ensino, para efectuarmos uma reciclagem.
O desnorte é total.
Luís José

Anónimo disse...

E pronto. Eis como mais uma vez um texto sobrio e muito importante para todo o País, principalmente o País pequeno do interior, é completamente ignorado e se resvala para a maldicência. Posso até nem concordar com muitas coisas que por ai se passam mas tenham paciência, já não há pachorra. De tanto querer destruir ás tantas só estão a projectar. Já agora eclareço que não estou nada de acordo com a ideia de acabar com concelhos mesmo pequenos. Apesar de problemas que têm, as Câmaras ainda são melhores do que os Governos. Para esses só os grandes centros, com muitos votos é que contam.

Anónimo disse...

Assim de repente, a ideia da extinção ou fusão dos concelhos, ressalvando as freguesias, não concordo principalmente a acontecer no Alentejo.
Não vamos perder o pouco do dinheiro que nos é reservado pelo Orçamento de Estado, bem como de outras receitas que arrecadamos e colocar a nossa identidade na mão de “estranhos”. Mas às vezes começo a pensar, qual será a melhor maneira de sairmos deste atoleiro. Não me agradando de imediato a ideia de junções, interrogo-me se não ganharíamos fundindo o nosso concelho com outro mais próspero e progressivo?
Só de pensar nisto começo a sentir-me arrepiado, assim mais reflexivo ponho de imediato esta ideia de parte.
Mas o problema é que o dinheiro que chega aos cofres da nossa Autarquia é muito mal gasto.
Só Deus sabe os sacrifícios que a maioria das famílias fazem para viverem com um mínimo de dignidade e muitas outras nem conseguem ultrapassar o limiar da pobreza.
Como é que uma família pobre, ou mesmo remediada, pode andar sempre em festanças e jantares fora, gastando o que não tem em consumos não essenciais sem ficar endividada?
Por analogia, o mesmo acontece a autarquias como Viana se desbaratarem os escassos recursos disponíveis em festanças, pomposamente designadas por acção social e obras não prioritárias.
É de bradar aos céus, estamos daqui a pouco com quase 1 milhão de contos de dívida bancária, mesmo no limite do endividamento de médio e longo prazo previsto na Lei.
Nesta orgia de esbanjamento, que direito tem esta gente de hipotecar o futuro da população do concelho? Será que estas pessoas não vão ficar na história do concelho com uma estátua virada de pernas para o ar, ao contrário do António Isidoro que permanece incólume e de busto erguido?
Por outro lado, vemos com satisfação o pequeno Município do Redondo, fazendo parte do grupo de Autarquias com muita obra e orçamento equilibrado.
Vamos aproveitar um dos passeios promovidos pela nossa Edilidade e, em vez de irmos à praia, apontamos a camioneta para o Redondo para falar com o Presidente Alfredo Barroso, para nos dar a sua receita de sucesso e, na volta a casa ensinamos os nossos autarcas a serem empreendedores.
Mas infelizmente já chegamos tarde.

antoniodavenda@hotmail.com

Anónimo disse...

Mais psicologia invertida e enganadora... Sinceramente! A psicopatia é uma doença, muito grave meus caros...

Então também querem ser candidatos independentes, é ?

É esse o remédio para os males do concelho de Viana do Alentejo ?

Digam mas é as pessoas que na pratica já o são há muito tempo...E tem sido o que se vê!

Os nossos munícipes estão atentos, não vale a pena querem há viva força iludibriá-los... Já não vão lá com psicologia dessa, tá gasta e cada vez mais defraudada...iolol

Anónimo disse...

"Então também querem ser candidatos independentes, é ? "

Também????

Anónimo disse...

o anónimo(a) que escreveu o comentário anterior não disfarça nada. Pensam que alguns não sabem que existem movimentações para alguns perpetuarem os amigos no poder para terem tempo de consolidar os investimentos que estão a fazer antes da revisão do PDM avançar mais.

Zé da Estação

Anónimo disse...

Bruxo, estavas à espera do quê...
É o safe se quem puder e quanto mais arrecadarem melhor!
Ainda não tinhas percebido? Andas a tomar algum fármaco, daqueles que provocam dormência temporária ou quê?
Mas não te preocupes que há-de passar, tudo tem principio, meio e fim... E eu acho que o meio já deve estar quase a chegar ao fim! iolol
E tu que pensas?
Queres um conselho, para pensares melhor larga os fármacos, que os ditos turvam te o sistema... Quem te disse que aliviavam a tensão e a ansiedade, mentiu-te !
Boa ?

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.