7.14.2008

Centro de Saúde assaltado





"O centro de Saúde de Viana do Alentejo (Évora) foi assaltado quarta-feira à noite, tendo sido furtados «cerca de 400 euros» em dinheiro, revelou esta quinta-feira à agência Lusa fonte da GNR.

As autoridades policiais, que procedem a investigações, desconhecem ainda se a autoria do assalto envolveu uma ou mais pessoas, referiu a fonte.

«O assaltante ou grupo de assaltantes arrombaram uma porta secundária e procuraram dinheiro, que encontraram em cofres, tendo furtado cerca de 400 euros», afirmou.

O assalto foi concretizado «durante a noite de quarta-feira», período em que o centro de Saúde se encontra encerrado, e a GNR foi alertada «hoje de manhã» por funcionários do serviço.

O Núcleo de Investigação Criminal (NIC) do destacamento de Évora da GNR está a proceder às investigações."

@: diario.iol.pt

16 comentários:

Anónimo disse...

O que é que acontecia ao povo se fosse pago para trabalhar e se deitasse á sombra da bananeira?
E se fosse um povo muito especial daqueles que são pagos com o dinheiro de todos ?
Ja estão a ver aonde quero chegar?
e não é ao povo que trabalha no centro de saúde !
è o outro povo que se devia dedicar ao bemestar e á segurança!
mas afinal onde é que eles andam a essas horas ?

Anónimo disse...

Vamos de mal a pior. Viana não tem policiamento. Ou se tem, não se vê. E se tem, não funciona.
Não se vê um GNR na rua. Antigamente era vê-los passar, barrigudos, punham-se aos cantos das ruas e as gentes tinham-lhes respeito (ou medo?...). Viviam na terra e, para o bem ou para o mal, faziam parte da comunidade. Hoje, quase que não os conhecemos. Alguém sabe quem é o actual comandante do posto, como se chama? Eu não sei. (Se calhar ainda bem, dirão alguns...)
Caminhamos a passos largos para a liberalização da segurança. Tal como já sucedeu com a saúde e a educação, quem a quiser de qualidade vai ter de a pagar. Mas será que os nossos governantes ainda não perceberam que mal vai o Estado que não consegue proteger os seus cidadãos? Vamos de mal a pior.

Anónimo disse...

Apesar de tudo prefiro a moderna GNR onde muitos dos nossos filhos dão o seu melhor cá dentro e fora das nossas fronteiras, do que a “saudosa” e bafienta GNR do Estado Novo.

Já ninguém se lembra que os momentos mais marcantes e tensos da revolução de 25 de Abril de 1974, foram vividos no Largo do Carmo, tendo como protagonistas o capitão Salgueiro Maia e o Quartel Comando da Guarda Nacional Republicana onde se acolheu Marcelo Caetano?

Assim era o papel da GNR devidamente integrada na comunidade, barriguda e conhecedora do meio. Para isso basta ler um pequeno trecho da entrevista no «Avante!» Nº 1498– 14.Agosto.2002, para compreender a verdadeira missão dessa força de segurança no Estado Novo:

40 anos depois, António Gervásio lembra as heróicas jornadas que garantiram a mais de 200 mil trabalhadores rurais o direito a uma vida condigna. Em entrevista ao Avante!, Gervásio, que foi funcionário clandestino do PCP no Alentejo e acompanhou a luta do início até à vitória, fala da coragem e determinação dos trabalhadores e da importância decisiva do Partido para o desfecho do que foi um combate árduo e vitorioso dos operários agrícolas do sul do País.

– Qual era a situação, antes de 1962, nos campos do Sul do País?

Até Maio de 1962, o horário de trabalho nos campos do Sul era de sol a sol, o que significava pegar no trabalho ao nascer do sol e despegar ao pôr. E fazer o caminho de casa para o trabalho – e o contrário – a pé, durante uma, duas ou mais horas. Não havia transportes e raro era o trabalhador que possuía uma bicicleta. As 8 horas, e consequentemente o fim do escravizante horário de sol a sol, era uma aspiração muito sentida pelos trabalhadores. Os assalariados agrícolas eram os trabalhadores mais privados de direitos e regalias do País. Os mais explorados. Tinham salários de fome e passavam meses seguidos sem ganhar um tostão. E não havia subsídio de desemprego nem reforma… Eram trabalhadores sem direitos, duramente explorados pelos grandes proprietários. E qualquer luta que travassem era reprimida com violência pela GNR e pela PIDE. Milhares de trabalhadores, homens e mulheres, foram presos pelo fascismo, condenados, torturados, e alguns mortos, por reclamarem por justiça, pão e trabalho.

Anónimo disse...

Por favor!!!
Tenham dó!!!
Estávamos a falar da inércia da GNR!!!
Ou é preciso um desenho ?!!!

meia dose disse...

sinceramente será a gnr a culpada dos assaltos? veremos para que servem os alarmes senão dispararam? dizem as más línguas que não se sabe se alguém entrou durante o dia pela porta principal e ficou lá dentro, então tanto funcionário ninguém viu? Afinal o que estão a fazer? AH já sei a falar mal de uns e de outros e a fazer favores aos amigos... depois a gnr é que é culpada...
vejam o que dizem, se estão na rua é porque andam à caça da multa se estão no quartel e porque estão no quartel não há quem perceba...
o que é certo é que esta vila está um caos

Anónimo disse...

É evidente que andam na rua à caça à multa. Aplicam-nas aos desconhecidos e aos forasteiros e de noite não se dão por eles. Já agora só falta dizer que o CS foi assaltado por gente de dentro. Tenha vergonha.

Anónimo disse...

E também estou a estranhar, ninguem dizer que a culpa é do Presidente da Câmara. lool.
Onde estão as regateiras deste blog, estão destraidos ou perderam qualidades.

Anónimo disse...

As regateiras deste Blog já chegaram. Não deu por si?

Anónimo disse...

Picaste-te querido, o barrete serve a quem o enfia.

Anónimo disse...

Sugestão ao moderador do blog. Eliminar os comentários acima de um certo limite de imbecilidade, (eu sei que é difícil ver a fronteira).

Anónimo disse...

Estava -se mesmo a falar da GNR Isto é guarda nacional republicana. E a verdade é que a caça á multa já não deve assim tanto... a maioria são conhecidos epadrinhos e vizinhos e amigos dos copos Dói naõ dói ??? pois é . mas afinal toda agente sabe que o sol quando nasce é só para alguns.

Anónimo disse...

Sobre o assalto ao Centro de Saúde - pergunto porque é que num edifício novinho em folha o alarme não funcionou.
Quanto à GNR, é verdade que uns são filhos e outros enteados.Ainda outro dia no mastro do Castelo montes de gente viu passar no seu bruto jipe, um industrial cá da terra, calmamente sem cinto e hiper alcoolizado. Parou, a patrulha de serviço dirigiu-se a ele sorrindo, prestou-lhe a tradicional vassalagem e mandou-o seguir.
Pelo menos disfarcem!

Anónimo disse...

Meus amigos, isto é um aviso, preparem-se para pior.
Quem reside em Viana tem sorte de ser noticia um CS assaltado pois em outros locais isso já deixou de ser noticia.
Temos uma vila por excelencia ao nivel da segurança. Não pelo papel que a GNR tem desempenhado mas por sermos um povo nobre, honrado e trabalhador.
Sabem porque há assaltos? Porque existe droga, vicios, não se quer trabalhar... é verdade, mas começa a haver fome.
Um concelho duplamente envelhecido, pobre e onde não se aposta no desenvolvimento para o bem estar socia´l, é normal isto vir a acontecer mais vezes.
Já agora fica aqui um alerta... olhem para o vosso lado e verifiquem se os vossos filhos estão num bom caminho... pois a educação depende muito dos ensinamentos de casa.

Ass: O SENSATO

Anónimo disse...

Vocês avham que há fome ? nah!!!
pessoas a viver mal ? nah !!!
isso é só impressão.
se houvesse problemas sociais acham que o presidente da cãmara não dava por eles ?
Acham que a tia rita celebrava os anos com anjinhos?
vá lá!!!
e vocês sabem que a cãmara é a primeira a apoiar os mais necessitados.ou não ? Sabem que outro dia li para aí num jornal que uma junta de freguesia pagava os medicamentos, a luz, a água e a mercearia a quem não podia fazê - lo. Bonito de ler não é ? Mais bonito para quem faz. E bonito para quem fica agradecido. Qual mastro qual carapuça !!! Qual anjos e outros que tais !!! e agora é QC das alcáçovas, depois foram as doçarias, são as velharias, há - de ser a feira , foi a prima Vera, e olhem foram tantas cacas que já não me lembro ... mas a quem ajudam estas cacas ? Acordem ! o povo tem fome. O povo vive mal e vocês dão bailaricos? ai dão dão! e que bailinho!!! sabem, outro dia lembrei-me e isto por causa de junta de viana que é a mesma coisa que a cãmara : há mais pó naquelas ruas do que no Sara. e é um deserto ! Mas vem mesmo a calhar : os moços fazem ralis e as nuvens de poeira que levantam só ajudam a não ver !!! nada! ninguém vê nada ! ninguém quer saber de nada ! vivó pó que nos atiram para os olhos!!! Boa !

Anónimo disse...

Qual fome qual carapuça, ja se fala a boca cheia que no fim deste mês há o almoço do presidente, ou do rei ou lá o que é.

Zé da Vila

Anónimo disse...

onde se inscreve para ir??

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.